Secretaria Municipal de Saúde recebeu nova doação de kits de EPI de professor da UNESP

Compartilhe:

Professor da UNESP, que é de Pereira Barreto, desenvolveu um sistema inovador na produção dos EPI.

O pereira-barretense Paulo Sérgio Barbosa dos Santos, que é professor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) fez a doação nesta semana de mais 130 kits de EPIs para a Secretaria Municipal de Saúde de Pereira Barreto, visando auxiliar no combate do Covid-19, o novo coronavírus. Os kits serão utilizados pelos profissionais atuantes na Santa Casa de Misericórdia, que recebeu 40 kits, e também para os servidores das unidades básicas de saúde (UBS), que receberam 90 kits. No início desde mês, o doutor já havia feito a doação de 40 kits.

Paulo Sérgio Barbosa dos Santos é doutor e docente do curso de Engenharia de Biossistemas da UNESP de Tupã. Ele faz parte do Rotay Club e exerce também o cargo de Diretor de Projetos Humanitários do Rotary Club de Tupã e é Coordenador do Projeto de Fabricação de Protetores Faciais da UNESP/IFSP.

Através de um projeto inovador do professor Paulo Sérgio, a UNESP já fabrica protetores faciais para doar na região. O campus da UNESP, em parceria com o do Instituto Federal de São Paulo, ambos sediados em Tupã, iniciou a fabricação de protetores faciais para doação prioritária à área da Saúde e também à da segurança pública nas cidades da região. O objetivo é proteger os profissionais desses setores do contágio do novo coronavírus. A meta é produzir 2.500 equipamentos em pouco mais de um mês.

A produção dos protetores é feita através da impressão 3D. Cada peça demora cerca de 1h para ser produzida, pesa cerca de 20 gramas e custa aproximadamente R$ 2,60. Os protetores faciais seguem um padrão estabelecido através da Resolução da ANVISA N°356 de 31 de Março de 2020 e também pela Norma da ABNT 16.360:2015.

As peças impressas em 3D são montadas com as viseiras de policarbonato. Os protetores faciais passam por um processo de higienização e secagem. Depois de secados os protetores são montados os elásticos. Por fim, os protetores faciais são colocados dentro de uma embalagem plástica e junto é colocado um panfleto de divulgação do projeto com os parceiros.

Mas para isso, além das três impressoras 3D em operação, a linha de produção precisa de mais três máquinas desse tipo. Doações para subsidiar o projeto podem ser feitas pela internet no link http:// vaka.me/985136.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *