Secretaria de Saúde fecha casos de dengue em Dezembro e pede ajuda da população para conter avanço da doença

Compartilhe:

 

Equipe de Saúde pede que a população continue colaborando para evitar o surgimento dos focos criadouros do mosquito transmissor da doença.

 

A Prefeitura da Estância Turística de Pereira Barreto, através da Secretaria Municipal de Saúde, em levantamento realizado nesta semana, confirmou 104 casos positivos de dengue no município contabilizados no mês de Dezembro. A Administração Municipal pede para que a população continue adotando ações em suas residências para evitar o surgimento dos criadouros do mosquito transmissor de doenças.

 

A Prefeitura Municipal vem intensificando o combate aos focos criadouros do mosquito Aedes Aegypti, responsável pela transmissão da doença. As equipes municipais de saúde vêm desenvolvendo atividades de bloqueios, eliminação de criadouros, nebulização dos alados e orientações sobre doença como sintomas e sinais e medidas preventivas. Além disso, os munícipes podem conferir dicas de combate à dengue através de uma página especial sobre a doença no link: http://www.pereirabarreto.sp.gov.br/dengue/ .

 

A dengue é uma doença infecciosa causada por um arbovírus, que ocorre principalmente em áreas tropicais e subtropicais do mundo, inclusive no Brasil. As epidemias geralmente ocorrem no verão, durante ou imediatamente após períodos chuvosos, tornando a nossa região um local de risco para a população em relação a essa doença. A infecção pelo vírus, transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti. Não há transmissão pelo contato de um doente ou suas secreções com uma pessoa sadia, nem fontes de água ou alimento.

 

O mosquito Aedes aegypti mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas. Costuma picar nas primeiras horas da manhã e nas últimas da tarde, evitando o sol forte, mas, mesmo nas horas quentes, ele pode atacar à sombra, dentro ou fora de casa. Há suspeitas de que alguns ataquem também durante a noite. O indivíduo não percebe a picada, pois no momento não dói e nem coça.

 

Quando surgem, os sintomas costumam evoluir em obediência a três formas clínicas: dengue clássica, forma benigna, similar à gripe; dengue hemorrágica, mais grave, caracterizada por alterações da coagulação sanguínea. A dengue clássica nos adultos, a primeira manifestação é a febre alta (39º a 40º), de início repentino, associada à dor de cabeça, prostração, dores musculares, nas juntas, atrás dos olhos, vermelhidão no corpo e coceira. Num período de 3 a 7 dias, a temperatura começa a cair e os sintomas geralmente regridem, mas pode persistir um quadro de prostração e fraqueza durante algumas semanas.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *