SAAE celebra o Dia Mundial da Água destacando a importância da preservação dos recursos hídricos

Compartilhe:

Data é celebrada no dia 22 deste mês.

O SAAE (Sistema Autônomo de Água e Esgoto) da Estância Turística de Pereira Barreto destaca a importância da preservação dos recursos hídricos no Dia Mundial da Água, celebrado no próximo dia 22, sexta-feira. Segundo Mauro André Martins, Diretor do SAAE, estudos apontam que a quantidade de água na terra é a mesma há 500 milhões de anos. Isso acontece porque a água se movimenta sempre, formando ciclos.

O ciclo da água ou Ciclo Hidrológico é a transformação e circulação pelas quais a água passa. A água está em permanente transformação, passando de um estado para outro, sólido, líquido e gasoso. O calor irradiado pelo sol esquenta a água dos oceanos, mares, rios e lagos. Parte dela transforma-se em vapor de água, que sobe para a atmosfera.

O vapor se acumula nas partes mais altas da atmosfera, fica tão fria que se condensa em pequenas gotinhas de água, flocos de neve e cristais de gelo que formam as nuvens. Se a temperatura atmosférica diminui ainda mais, ocorrem as chuvas, neves e granizo.

Parte das chuvas cai sobre os oceanos e mares. Outra parte atinge os continentes, podendo cair sobre o solo, onde se infiltra e alimenta os lençóis e aqüíferos subterrâneos. Parte da água que se infiltrou no solo pode ser absolvida pelas plantas que, depois é devolvida à atmosfera por meio da transpiração. A água também pode evaporar ou escoar sobre o solo e correr para os rios, mares e oceanos, reiniciando o ciclo.

A água é um dos recursos finitos mais essenciais para a sobrevivência da vida no planeta, pois colabora com os ciclos naturais e ainda, é fundamental para a produção de alimentos. É importante destacar que o ser humano é formado em grande parte por água, cerca de 70% do corpo.

Hoje, sabe-se que a superfície terrestre é formada por aproximadamente 70% de água. Porém grande parte desta água é salgada, são águas de mares e oceanos, cerca de 97%, restando cerca de 3% de água doce, que estão nos rios, lagos, aquíferos e nas calotas polares, onde apenas 0,01% está disponível para consumo.

Se observarmos do espaço fica complicado entender porque o planeta Terra possui essa denominação. Isso porque as porções de água são imensas, o que nos leva a ver um planeta azul, ou seja um “planeta água”. Deixando essa questão de nomenclatura de lado, é preciso pensar como seria nossa vida se não tivéssemos água para beber, cozinhar e tomar banho.

A água, portanto, faz parte do nosso dia-a-dia, sendo elemento essencial para todos os seres vivos do planeta, pois colabora com a manutenção da biodiversidade. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), a cada 20 anos o consumo mundial de água duplica. Isso pode gerar uma enorme crise de abastecimento que atingirá cerca de 2,8 bilhões de pessoas a partir do ano de 2025.

Como vimos a água possui tamanha importância na vida das pessoas, o que reforça a necessidade de preservar esse bem tão valioso. Assim, pequenas atitudes de cada cidadão são essenciais para a preservação dessa importante fonte de riqueza da natureza, bem como de todo o planeta. Consciência ecológica e ambiental, como não jogar lixos e dejetos em ambientes impróprios, fazer a separação correta do lixo, dentre outros.

O uso racional e sustentável dos recursos hídricos, como o racionamento e reutilização de água, banhos rápidos, fechar a torneira enquanto escova os dentes e lava a louça, dentre outros, preservação das águas e não atirar lixo nos rios, mares e oceanos, e melhor gerenciamento e gestão dos recursos hídricos, como a inserção de políticas públicas.

A escassez de água é um problema que afeta todo o mundo. No Brasil, apesar da porcentagem de 12% da água doce do planeta estar concentrada no nosso país, a crise hídrica é uma preocupação que também atinge os brasileiros. A situação parece contraditória, tendo em conta que todos aprendemos que a maior parte do planeta Terra é constituído de água, 75%.

Entretanto, o que as pessoas precisam realmente saber é que mais de 97% dessa água não pode ser consumida e nem utilizada em limpezas e higiene pessoal, por exemplo. Isso porque ela é salgada. Da água doce que sobra, a grande parte está congelada e outra parte substancial está no subsolo.

Enquanto isso, a água que existe nos reservatórios e entra nas redes de distribuição para serem utilizadas pelas pessoas corresponde a menos de 1%. E pouco sobra para consumo próprio, pois a produção agrícola exige uma grande quantidade de água para se desenvolver de forma satisfatória. Além disso, uma boa porcentagem dessa água também é requerida pelas indústrias. Infelizmente, isso não é tudo. Há água que poderia ser utilizada, mas acaba sendo contaminada por resíduos industriais e resíduos de aterros sanitários e lixões, entre outros.

Há vários fatores que motivam a falta de água, dentre eles: seca, poluição e má distribuição desse recurso, apenas para citar os mais comuns. Quando falamos em má distribuição, estamos nos referindo ao fato de que nem sempre a região onde a concentração populacional é maior é aquela que possui mais água. Além disso, a distribuição da água é um problema de poder. É por isso que há conflitos mundiais pela posse de água, tal como acontece com as águas do rio Jordão.

Quanto mais pessoas, maior o consumo de água. Desta forma, daqui a alguns anos, e com o aumento da população, se nada for feito, teremos  uma crise hídrica grave. Pois se a água é um bem essencial, a falta dela terá impactos sociais, econômicos e ambientais. São exemplos esvaziamento das cidades, baixa produção agrícola e industrial, falta de emprego, entre muitos outros.

Para que a água não falte, é preciso usá-la na medida certa. Precisamos conscientizar as pessoas que apesar da quantidade de água existente no planeta, nem toda pode ser consumida. Por isso, a água deve ser vista como um bem que precisa ser preservado. Seu uso deve ser racional, você pode economizar a água com pequenas atitudes, então vamos fazer nossa parte, se soubermos usar, não vai faltar para gerações futuras.

  • 7
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *